Início Plantão Rio Rio Rural incentiva apicultura em Santo Antônio de Pádua

Rio Rural incentiva apicultura em Santo Antônio de Pádua

 

A apicultura, uma das atividades incentivadas pelo programa Rio Rural, da secretaria estadual de Agricultura, como fonte complementar de renda para agricultores familiares, está motivando produtores na microbacia Cabiúna, em Santo Antônio de Pádua, no Noroeste do estado. Seis deles, residentes na comunidade São Germano, contemplados com projetos de kits de apicultura, fornecidos pelo programa, já estão com as colmeias formadas e aguardam o início da produção de mel no final do ano. O litro do produto é comercializado, em média, a R$ 20 e a expectativa é que os kits produzam, no mínimo 60 litros por ano, gerando renda de R$ 1,2 mil para cada produtor.

 

 

Luis César Mendel e Júlio Câmara Olivier, que tem na pecuária de leite sua principal atividade, viram na apicultura um meio de aumentar a renda da família.

 

 

– É uma atividade paralela que não atrapalha o nosso dia-a-dia, porque não toma muito tempo – enfatizou Julio.

 

 

Integrantes do Cogem (Comitê Gestor da Microbacia), Julio e Luis são vizinhos. Além do kit apicultura, através do Rio Rural também fizeram isolamento de área de recarga e adquiriram, em projeto grupal com mais 4 produtores, um tanque de expansão para armazenagem de leite. Os 300 litros do produto retirados diariamente pelo grupo são comercializados para a indústria láctea Godan. Para eles, a instalação do tanque foi essencial para dar autonomia.

 

 

– Antes, usávamos o tanque da associação central, mas tínhamos que vender o leite para quem eles determinavam. Agora podemos vender para quem quisermos – esclareceu Luis César.

 

 

Perto dali, Elias Verdan e sua esposa Alzinete também aguardam a produção do kit apicultura, mas já comemoram o aumento da renda obtido com a criação de galinhas poedeiras, outra atividade incentivada pelo Rio Rural.

 

 

– Para mim o resultado tem sido excelente. Dá trabalho, exige dedicação, mas dá lucro. Conseguimos comprar um freezer juntando dinheiro obtido com a venda dos ovos – contou ele.

 

 

O freezer é mais um instrumento para implementar a geração de renda na propriedade. Alzinete faz queijos e compotas de frutas, com matéria-prima do sítio. O casal vende o que produz em Santo Antônio de Pádua e em Aperibé, incluindo peixes criados em açude.

 

 

Estes projetos foram desenvolvidos na primeira etapa do Rio Rural – GEF. Segundo o técnico extensionista da Emater-Rio e executor do programa na microbacia, Shirle Marcolongo, os produtores já estão ansiosos para a implantação da segunda etapa, com recursos do BIRD. Nas reuniões do Cogem, já se manifestaram sobre o que é preciso para otimizar a produção. Pretendem fazer irrigação e plantio de cana forrageira.

 

 

– A expectativa é grande, a maioria trabalha sozinho na propriedade. O pasto fica prejudicado, porque não dá tempo de irrigar toda a área. Os projetos de irrigação do Rio Rural vão contribuir muito para melhorar a qualidade de vida do produtor – afirmou Shirle.

 

 

Na microbacia Cabiúna, além dos projetos de kit apicultura, kit galinha, tanque de expansão e isolamento de área de recarga, em sua primeira etapa o Rio Rural também subsidiou projetos de pastejo rotacionado, plantio de cana forrageira e proteção de nascentes, beneficiando agricultores familiares.

 

Fonte: Agência Brasil