Início Plantão Rio Rio terá cinco mil novos quartos até a Copa de 2014

Rio terá cinco mil novos quartos até a Copa de 2014

A Prefeitura do Rio se prepara para receber os amantes do esporte na Copa do Mundo FIFA 2014 e investe na expansão da rede hoteleira com a construção e adaptação de pelo menos cinco mil novos quartos até 2014. Atualmente, a cidade oferece 34.130 quartos. Para a Copa do Mundo, espera-se alcançar a marca de 39,2 mil quartos, sendo 26,6 mil em hotéis e outros 12,6 mil distribuídos em apart-hotéis, albergues, pousadas e motéis.

 

Para 2016, a expectativa é de que a capacidade de hospedagem no Rio alcance a marca de 52,5 mil unidades (cerca de 18 mil quartos a mais em relação aos números atuais), sendo 39,8 mil em hotéis e 12,8 mil em aparts, motéis, albergues e pousadas. Isso, levando-se em consideração os empreendimentos em obras, em análise ou já licenciados pela Secretaria Municipal de Urbanismo (SMU). Além disso, a expansão da rede hoteleira no Rio prevê a geração, nos próximos anos, de 14 mil postos de trabalho diretos, entre recepcionistas, camareiras, garçons e chefs de cozinha, e de 35 mil indiretos.

De acordo com a Agência de Promoção de Investimentos do Rio de Janeiro (Rio Negócios), para se criar um ambiente favorável ao investimento no setor de hotelaria na cidade, a Prefeitura do Rio, em 2010, lançou um pacote de incentivos que potencializou a chegada de novos empreendimentos, como as redes Accor, Ramada, Marriott, BHG, Windsor, Hyatt, Hilton e Emiliano; uma estimativa de R$ 4 bilhões em investimentos.

Para fomentar ainda mais a expansão da rede hoteleira, este ano foi aprovado um pacote de incentivos para proprietários de motéis que desejassem convertê-los em empreendimentos hoteleiros. O pacote inclui redução de ISS, remissão de IPTU, isenção de IPTU durante as obras e redução de IPTU na operação para explorar da atividade hoteleira. A cidade conta hoje com 6.500 quartos de motel e, para a Copa do Mundo, espera-se que mil quartos sejam convertidos. Até os Jogos Olímpicos, a Rio Negócios prevê a conversão de mais de 3 mil quartos. Estas unidades poderão ser reconvertidas após dois anos das Olimpíadas 2016.

À frente da Rio Negócios, Marcelo Haddad analisou a expansão da rede hoteleira do Rio, destacando que esta transformação se deu em curto intervalo de tempo:

“O Rio vem passando por uma grande expansão e requalificação da sua oferta de quartos em um período de tempo curto. Isso é algo sem precedentes no mundo. Este processo, impulsionado pelos eventos internacionais e o dinamismo econômico da cidade nos últimos anos, foi potencializado com o pacote de incentivos lançado pela Prefeitura. Em cinco anos teremos aumentado em 60% a nossa rede de hospedagem. Até o ano que vem, durante a Copa do Mundo da FIFA, a cidade ganhará mais de cinco mil novos quartos, totalizando 39.200 unidades”, afirmou Haddad, acrescentando que os volumes desta expansão são monitorados pela Agência, que também atua na captação de novos investidores e facilita sua instalação na cidade, conectando os players deste mercado e auxiliando no georreferenciamento dos projetos.

A prefeitura dividiu os hotéis da cidade em quatro regiões de influência: os bairros de Copacabana (que possui três estações de metrô), Barra da Tijuca (que futuramente terá dois sistemas BRT e uma estação de metrô), e Centro seguirão concentrando o maior número de unidades. A Barra terá participação relevante nesse processo, uma vez que o bairro e seus arredores contarão com 38 estabelecimentos novos e duas expansões. Em seguida, vêm Copacabana (que abrange toda a Zona Sul), com 33 novos hotéis e três expansões; Maracanã (que compreende o Centro, a região do Porto e Del Castilho), com 12 novos e duas ampliações; e Deodoro (com dois lançamentos na Ilha do Governador).

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Joaquim Lopes, vê no pacote de incentivos da Prefeitura do Rio a principal alavanca para a expansão da rede hoteleira da cidade. Segundo ele, a decisão promoveu mudanças e adaptações importantes no setor:

“Além de conceder incentivos fiscais para a construção de empreendimentos hoteleiros, a intervenção da prefeitura nos parâmetros urbanísticos da cidade foi responsável por mais de cem novos projetos licenciados ou em processo que nos permitiram, hoje, dizer que a carência na oferta de leitos na cidade é um desafio praticamente superado. Além disso, estima-se que cada novo quarto de hotel vai gerar cerca de quatro empregos, sendo um direto e três no setor de receptivo turístico”, disse Lopes.

Seis novos hotéis na Lapa
De acordo com a Rio Negócios, a Lapa e adjacências, cujo número de frequentadores se torna cada vez maior, também terão sua rede hoteleira reformulada. Estão previstas até 2016 a implantação de seis novos hotéis nas ruas do Riachuelo, Gomes Freire e do Rezende.

Além disso, três motéis estão sendo convertidos (como é o caso do Hotel Fluminense e do SNOB) e três hotéis já existentes (Granada, Hotel Pouso Real e Rio’s Presidente) passam por obras de ampliação ou retrofit (modernização). Quando essas 12 unidades estiverem prontas, a região vai oferecer aos cariocas e visitantes um total de 1.616 novos quartos.

Assim como outras regiões da cidade, que passam por obras de reformulação, o bairro da Lapa está passando por restaurações que procuram manter intacto o seu conjunto arquitetônico, que inclui prédios do início do século. A região abriga monumentos centenários, como os Arcos da Lapa, o Passeio Público, a Escola Nacional de Música e a Igreja de N. Sra. da Lapa. A região encanta os seus visitantes por ser um espaço multicultural, que mistura vários tipos de arte e inúmeros estilos musicais.