Início Plantão Rio Seminário discutiu ocupação econômica da Região Portuária

Seminário discutiu ocupação econômica da Região Portuária

O prefeito Eduardo Paes participou na terça-feira (02/07) da abertura do seminário “Ocupação Econômica das Áreas na Região do Porto Maravilha”, promovido pelo Sebrae /RJ em parceria com o jornal O Globo, no Centro. Tendo como linha de discussão a importância da Região Portuária da cidade como propagadora de pequenos e médios negócios, o encontro destacou os principais desafios de potencializar e estimular o segmento – através da facilitação ao crédito, da promoção e simplificação da legalização da empresa, e da capacitação de empreendedores atuais e potenciais.

 

 

O debate reuniu ainda o diretor-superintendente do Sebrae/RJ, Cezar Vasquez, a professora da IE/FRJ, Valéria Pero, e o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-RJ), Sydnei Menezes. Durante o seminário, os participantes tiveram acesso a uma análise demográfica da Região Portuária, que possui cerca de 30 mil habitantes em 10 mil  domicílios (0,5% da população da cidade) e concentra 93% das micro e pequenas empresas do Rio, especialmente na Saúde.

 

“O processo de revitalização da Região Portuária começou a deslanchar em 2011, e, desde então, vem causando evidente impacto econômico sobre o cotidiano da cidade. Somente com as intervenções, tivemos a geração de seis mil empregos diretos. Além disso, revitalizar a região central do Rio refletiu em melhorias para toda a cidade, não foi algo restrito àquela região”, disse Paes, que fez questão de destacar o ineditismo do projeto Porto Maravilha:

 

“As intervenções não representaram gastos para os cofres públicos, o que gerou um ciclo econômico fantástico. E isso se deu ao fato de que formalizamos a maior Parceria Público-Privada (PPP) do país, em valor superior a R$ 7 bilhões. O consórcio vencedor da licitação é responsável por todas as obras da segunda etapa do projeto e também responderá pela prestação de serviços previstos pela licitação, como conservação e limpeza, por 15 anos.”

 

O encontro também reuniu empresários dos setores de entretenimento e gastronomia, como Fernando Libonati (Galpão Gamboa) e Rigo Duarte (sócio do restaurante Angu do Gomes, na Praça Mauá).

 

Projeto Porto Maravilha:

 

Iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro, com o apoio dos governos estadual e federal, a requalificação da região portuária da cidade tem a missão de recuperar importância de uma área de 5 milhões de metros quadrados. As primeiras intervenções da Operação Porto Maravilha já devolveram à cidade verdadeiros tesouros arqueológicos, como o Cais e os Jardins Suspensos do Valongo, entre outros achados.

 

Além disso, os bairros da Saúde, Gamboa e Santo Cristo e parte dos bairros do Centro, Cidade Nova, São Cristóvão e Caju passam por um momento de retomada do desenvolvimento social e econômico, com a instalação de empresas e de novas condições de trabalho, moradia, cultura, lazer e transporte.

 

Para se ter uma idéia, o projeto inclui a construção de 4 km de túneis, reurbanização de 70 km de vias e 650.000 m² de calçadas, a reconstrução de 700 km de redes de infraestrutura urbana (água, esgoto, drenagem), implantação de 17 km de ciclovias, a demolição de parte do Elevado da Perimetral, a construção de três estações de esgoto, além do plantio de 15 mil mudas de árvores.

 

Com isso, pretende-se reintegrar essa região ao centro da cidade e transformá-la em um exemplo de desenvolvimento urbano sustentável e inclusão socioprodutiva, com a valorização de seu patrimônio e a implantação de novos equipamentos culturais, como o Museu de Arte do Rio (inaugurado em março deste ano) e o Museu do Amanhã, com inauguração prevista para o primeiro semestre de 2014.

 

Prefeitura do Rio