Início Plantão Rio Tecnologia social: 31 projetos contribuirão para reduzir problemas sociais

Tecnologia social: 31 projetos contribuirão para reduzir problemas sociais

A Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro apoia diversas iniciativas de tecnologia social, conceito definido pelos produtos, métodos ou técnicas que tragam soluções efetivas a algum tipo de problema social, e que sejam desenvolvidas com simplicidade, baixo custo, replicabilidade e impacto em determinadas faixas da sociedade. Prova disso foi o anúncio, nesta quinta-feira (14/06), de 31 projetos contemplados entre os 36 pré-selecionados no programa de Apoio ao Desenvolvimento de Modelos de Inovação Tecnológica e Social – 2012, que receberão R$ 3 milhões em recursos.

 

 

As propostas aprovadas serão desenvolvidas sobre temas prioritários – como agricultura familiar e/ou cooperativada; hortas comunitárias; pecuária familiar e/ou cooperativada; aquicultura; processos agroecológicos; fornecimento de água potável para pequenas comunidades; produção de alimentos e fitoterápicos; segurança alimentar e nutricional; saneamento básico; habitação de baixo custo; energia para pequenas comunidades e consumidores isolados; confecções e moda têxteis com produção comunitária; produção de cerâmicas e de bens minerais; e artesanato.

 

 

De acordo com o diretor de Tecnologia da Faperj, Rex Nazaré, a iniciativa do edital se alinha com as metas do milênio estabelecidas pelas Nações Unidas, que visam reduzir problemas sociais com tecnologias adequadas.

 

 

– Entendemos que as tecnologias sociais podem ser geradas tanto no meio social quanto na academia ou em empresas e podem conjugar o saber popular ao conhecimento técnico-científico. O essencial, no entanto, é que proponham soluções inovadoras para problemas prioritários e que possam ser repetidas e disseminadas, multiplicando-se entre os grupos sociais e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida – disse.

 

 

Para Nazaré, apesar do pouco tempo desde o lançamento do primeiro edital de Apoio ao Desenvolvimento de Modelos de Inovação Tecnológica e Social, em 2008, já são vários os casos de sucesso. Um deles é o projeto de produção de tilápias, pela cooperativa Coopercrama, em Cachoeiras de Macacu, que possibilitou a inclusão de proteína animal na merenda escolar da rede pública do município.

 

 

– Essa iniciativa também serviu como exemplo para outros produtores introduzirem a piscicultura nas baixadas litorâneas daquela região – afirmou Rex Nazaré.

 

 

Ele enumera ainda o caso da prefeitura de Bom Jesus de Itabapoana, que passou a adquirir os produtos cultivados nas hortas familiares de pequenos agricultores do município e o vetmóvel, no noroeste fluminense.

 

 

– O vetmóvel tem levado assistência veterinária às pequenas fazendas e sítios de Santo Antônio de Pádua, Itaocara, Itaperuna, Miracema e São José de Ubá, orientando quanto a técnicas corretas de manejo, alimentação adequada, tratamentos veterinários e reprodução animal. Todos são exemplos de como os recursos do edital têm efetivamente contribuído para a melhora da qualidade de vida da população fluminense – conlcuiu.

 

Fonte: Governo do Rio