Início Plantão Brasil Time Brasil já tem 300 vagas nos Jogos Olímpicos Rio 2016

Time Brasil já tem 300 vagas nos Jogos Olímpicos Rio 2016

A pouco mais de dois anos para os Jogos Olímpicos Rio 2016, a delegação brasileira já conta com 300 vagas garantidas para a competição. A informação foi passada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) em apresentação nesta quarta-feira, dia 23. Na oportunidade, o COB detalhou o mapa estratégico e as ações que estão sendo realizadas para que o Time Brasil alcance o TOP 10 no número total de medalhas dos Jogos Rio 2016, principal meta da entidade para o evento. Em 2012, a Itália ficou na 10ª colocação, com 28 medalhas. O Brasil ficou em 15º em Londres, quando conquistou 17 medalhas no total, o recorde do país.

 

“A meta do COB é ficar entre os dez primeiros países no quadro total de medalhas. É uma meta ousada, porém factível, dentro da realidade que podemos atingir. Para isso estamos trabalhando intensamente com as Confederações para proporcionar aos atletas e equipes todas as condições de preparação e treinamento”, explicou o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.

 

Time Brasil – O COB trabalha com a expectativa de aproximadamente 400 atletas na delegação brasileira durante os Jogos. Por ser a delegação do país sede, o Brasil tem vaga garantida em grande parte das modalidades, mas não em todas. Alguns esportes definem suas vagas através de índices estabelecidos pelas respectivas Federações Internacionais, como atletismo e natação. Em outros, como hóquei sobre grama e tênis, a classificação se dará através do ranking mundial.

 

Ao fim do encontro, o diretor de esportes do COB, Marcus Vinicius Freire, informou que o COB já tem contrato firmado com a Prefeitura do Rio e os administradores da HSBC Arena para a instalação de um Centro de Treinamento de Ginástica na quadra de aquecimento do local. As obras de adequação se iniciarão até o final de setembro. “Em dezembro desse ano o local já estará disponível para os nossos ginastas, lembrando que as duas seleções estão, neste momento, bem atendidas. A feminina está em Três Rios e a masculina treina em São Paulo. Durante esses dois últimos anos, proporcionamos diversos períodos de treinamento no exterior para os atletas da modalidade”, disse Marcus Vinicius, que apresentou o planejamento do COB nesta quarta ao lado dos gerentes da área de esportes da entidade.

 

Para alcançar a meta do TOP 10, o COB implementou um Plano Estratégico em 2009, quando o Brasil ganhou o direito de sediar os Jogos Olímpicos. Ainda no ciclo olímpico passado, o COB preparou, com a ajuda das Confederações Brasileiras Olímpicas, um guia para o desenvolvimento sustentável de todas as modalidades olímpicas. Dentro do planejamento estratégico do COB, os primeiros anos deste ciclo olímpico são voltados para a preparação técnica, física e mental e a estruturação esportiva das equipes brasileiras, a partir de sete ações básicas: suporte para treinamentos e competições; utilização das Ciências do Esporte; apoio a atletas e aos técnicos brasileiros; disponibilização de serviços médicos e fisioterapêuticos; aquisição de equipamentos esportivos; contratação de técnicos estrangeiros; e monitoramento de resultados internacionais.

 

O Comitê Olímpico monitora os principais atletas brasileiros, buscando atender, em conjunto com as Confederações Brasileiras Olímpicas, suas principais necessidades em termos de treinamento esportivo. Um dos objetivos principais desse monitoramento é avaliar que etapa o Brasil atingiu no processo de preparação das equipes e atletas com chances de integrar a delegação brasileira em 2016, através da comparação de resultados obtidos em campeonatos mundiais ou rankings das federações Internacionais. Com esses dados, o COB estabelece estratégias de investimentos visando ao aprimoramento e/ou desenvolvimento esportivo de cada esporte, disciplina ou atleta de potencial. O COB busca investir nos detalhes que possam fazer a diferença no resultado final dos atletas.

 

De acordo com o planejamento estratégico feito para cada modalidade, o COB vem possibilitando a realização de estágios nacionais e internacionais para diversas modalidades, incluindo a realização de campings de treinamento no Brasil e no exterior e a participação em competições estratégicas do calendário internacional. Ex: atletismo nos Estados Unidos, lutas feminina no Japão, ginástica feminina na Alemanha.

 

A participação de treinadores qualificados no processo de preparação de atletas e equipes é condição fundamental para o sucesso de uma campanha em competições como Campeonatos Mundiais, Jogos Olímpicos e Jogos Pan-americanos. Por essa razão, a valorização dos treinadores, brasileiros ou estrangeiros, tem sido um dos pilares estratégicos do COB neste ciclo olímpico. Neste momento, são 42 técnicos estrangeiros, de 23 modalidades diferentes, trabalhando com as equipes brasileiras, através de recursos da Lei Agnelo/Piva.

 

COB