Início Plantão Brasil Troca de geladeiras

Troca de geladeiras

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta quarta-feira (22) que o governo deve lançar em, no máximo, três meses um programa para troca de geladeiras com mais de dez anos de uso por novas. O programa envolve a indústria, as lojas de revenda e empresas de transporte e reciclagem. O objetivo do governo é trocar até 10 milhões de geladeiras no país.

A ideia, segundo Lobão, é combinar redução de imposto com diminuição do custo de produção de geladeiras. O ministro disse que o governo já acertou com a indústria a produção de um modelo específico para atender a demanda pela troca. Essa geladeira especial custaria cerca de R$ 500,00, segundo ele.

– Isso não está absolutamente quantificado, mas ficará bem mais barato [do que é hoje]. Talvez um pouquinho menos [de R$ 500,00], mas entorno disso – comentou. – Estamos estudando a redução do IPI e outras medidas que estão em estudo para reduzir o mais possível o valor da geladeira, para torná-la absolutamente acessível para a parcela mais pobre do povo brasileiro – comentou.

O ministro explicou que o consumidor que quiser trocar sua geladeira com mais de dez anos de uso terá que ir até a loja, comprar o novo modelo produzido especialmente para as trocas, e o próprio distribuidor recolherá o produto antigo.

Essa geladeira velha é levada pelos distribuidores para uma indústria que retira o gás CFC do produto. Essa indústria revenderá a carcaça da geladeira para uma usina onde ela será reaproveitada. Uma das indústrias dispostas a fazer isso é a Gerdau, segundo Lobão. O governo estima que gastará R$ 100 milhões por ano para pagar o transporte da geladeira velha para a empresa que retira o gás poluente.

O governo tem dois objetivos com esse programa. Um é a troca de produtos altamente poluentes para a camada de ozônio por novas tecnologias. O outro é ampliar o consumo e manter o mercado interno aquecido. Pelos cálculos do governo, o programa atenderá um milhão de trocas no primeiro ano, dois milhões no segundo ano, até atingir 10 milhões de unidades.

– Ou se faz agora – não houve a decisão ainda – dentro de 15 dias um mês ou esperaremos o período final do desconto IPI sobre a geladeira de um modo geral – disse. No caso de aguardar o período final da redução do IPI concedido para geladeiras, fogões e máquinas de lavar, o programa entraria em operação daqui a três meses.

 

Fonte: G1