Início Plantão Rio Unidade prisional recebe viveiro de mudas florestais de Mata Atlântica

Unidade prisional recebe viveiro de mudas florestais de Mata Atlântica

mudas-mata-atlanticaTrinta apenados do sistema penitenciário já estão trabalhando no primeiro viveiro de mudas florestais de Mata Atlântica instalado em uma unidade prisional. Os internos que cumprem pena no regime semiaberto participam do projeto Replantando Vida, iniciativa da Nova Cedae em parceria com a Fundação Santa Cabrini, que utiliza mão de obra de detentos para realizar o replantio de espécies prioritariamente nas bacias dos rios Guandu e Macacu. Localizado na Colônia Agrícola Marco Aurélio Vergas Tavares Mattos, em Magé, o viveiro tem capacidade para produzir 1,2 milhão de mudas por ano.

 

A expectativa é de que mais 70 detentos sejam convocados para participar dos grupos de plantio das mudas do novo viveiro. Por enquanto, os 30 apenados absorvidos têm realizado a produção das mudas. Em breve, o espaço será inaugurado oficialmente.

 

– Este é o quinto viveiro da Cedae que utiliza mão de obra de apenados. Também é o único instalado em uma unidade prisional – afirmou o presidente da Santa Cabrini, Jaime Melo.

 

Novo ofício para os internos

 

Para Carlos Francisco Leal da Silva, de 55 anos, a oportunidade de aprender um ofício e reduzir a pena é importante.

 

– Espero conseguir trabalho quando sair. Aqui, aprendemos uma função – disse Carlos.

 

Claudinei Pacheco, de 43 anos, também deseja mudar de vida.

 

– Estou aqui há apenas um mês, mas já aprendi bastante – afirmou Claudinei.

 

Segundo o idealizador e coordenador dos programas de ressocialização e reflorestamento da Nova Cedae, Alcione Duarte, mais 150 internos serão absorvidos pelo projeto Replantando Vida ainda este ano. Os detentos realizam capacitação de mil horas/aula na Universidade Rural do Rio de Janeiro.