Início Plantão Brasil Universidade luta contra tabagismo

Universidade luta contra tabagismo

Organização faz performance para chamar a atenção para o tabagismo. Principais atrações do evento da UnB são as bandas Nação Zumbi e Maskavo, além de grupos locais, como Clima de Montanha, Trio Balanceado, Projeto Criolina, Surf Sessions e DJs. 

A Aliança de Controle do Tabagismo – ACT faz uma performance neste sábado, dia 27, a partir das 23:30, no evento dos calouros da Universidade de Brasília, no Centro Comunitário da UnB. O objetivo é chamar a atenção dos jovens sobre as estratégias da indústria do tabaco, os males do tabagismo e do fumo passivo e chamá-los para participar da Rede ACT. 

Para alertar sobre as substâncias tóxicas contidas no cigarro, entre elas veneno para rato, um ator se fantasiará como o animal e se rastejará entre a multidão, e morrerá no palco.  

As principais atrações do evento da UnB são as bandas Nação Zumbi e Maskavo, além de grupos locais, como Clima de Montanha, Trio Balanceado, Projeto Criolina, Surf Sessions e DJs. 

DIGA NÃO À PROPAGANDA DE CIGARRO!

O projeto mais recente da ACT é a campanha pela ética na propaganda: Diga Não à Propaganda de Cigarro!, cuja intenção é sensibilizar os legisladores e a população em geral e mostrar como a indústria do tabaco continua a promover seus produtos em pontos de vendas e eventos privados, apesar da restrição à publicidade nos meios de comunicação de massa existir desde o ano 2000.  

A campanha tem identidade visual criada pela EURO/RSCG Contemporânea, e é composta por um kit, que contém, entre outros estudos, um vídeo, um parecer jurídico e uma análise de estudos científicos sobre pontos de venda.

O vídeo, chamado “Diga não à propaganda de cigarro”, foi dirigido pela cineasta Adriana L. Dutra e por Tuco. Nele, foram ouvidos jovens brasileiros, de várias classes sociais, sobre a percepção que têm da publicidade que os atinge diariamente. Especialistas em comunicação e publicidade, por sua vez, explicam como a propaganda em pontos de vendas atinge o consumidor e é decisiva na hora da compra.

Pesquisa Datafolha/ACT mostrou que:

79% dos jovens vêem cigarros quando vão à padaria.
71% dos jovens vêem cigarro quando vão ao supermercados.
37% dos jovens vêem cigarro quando vão à banca de jornal
58% dos que frequentam bares vêem cigarros sendo vendidos nesses locais.
Dos que freqüentam lojas de conveniência, 38% vêem cigarros à venda.
Para 71% dos jovens essa exposição influencia o consumo.
71% de jovens entre 12 e 14 anos acham que pessoas de sua idade podem sentir vontade de fumar ao ver os cigarros expostos em locais de venda.
90% das pessoas começam a fumar antes de 19 anos.
Segundo estudos internacionais: 

 A propaganda em ponto de venda predispõe crianças ao fumo, e as tornam suscetíveis a iniciar e continuar a fumar.

Propaganda de cigarros em pontos de vendas é uma forma poderosa de publicidade – que opera 24 horas por sete dias e oferece uma venda imediata.

 A indústria do tabaco sabe que os displays de propaganda visam “estimular o processo da venda e revenda”.

A propaganda de cigarros em pontos de venda mina os esforços para se parar de fumar,  provocando o público alvo (incluindo crianças e mulheres grávidas) a sentirem-se estimulados a continuar comprando. 

Manter os produtos derivados de tabaco nos pontos de venda, mas fora do raio de visão, é uma tendência mundial.  Estados australianos como Tasmânia, New South Wales,  Australian Capital Territory, Victoria e Western Austrália têm legislações nesse sentido. Outras jurisdições dentro da Austrália propuseram o mesmo. Islândia, Tailândia, Irlanda e várias províncias e territórios do Canadá também seguem essa legislação.   

 Acesse nosso hotsite, assista aos vídeos e faça um download do material: http://www.propagandasemcigarro.com.br/

 

 

Fonte: Acontece noticias