Início Plantão Brasil Vacina será testada em humanos

Vacina será testada em humanos

O Instituto Butantan, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, planeja iniciar os testes da vacina contra a gripe aviária em humanos já no próximo semestre. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 23 de abril, pelo governador José Serra e pelo secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata, durante abertura oficial da campanha de vacinação contra a gripe em idosos no Instituto Butantan..

Também será anunciada a conclusão da primeira etapa de estudos da vacina, produzida com cepa do vírus H5N1, que utiliza um vírus originário do Vietnã, fornecida pelo National Instittute for Biological Standards and Technology, laboratório britânico sancionado pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

A vacina, produzida em laboratório no Instituto Butantan e testada em camundongos, tem apresentado resultados promissores. Até o final de setembro, o Instituto deverá produzir outros 3 lotes da vacina experimental e irá aguardar autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para iniciar os testes em humanos ainda neste ano. A estimativa é que sejam necessários ao menos 30 voluntários.

O objetivo do Butantan, um dos cinco centros produtores de vacina no mundo que compõem a força-tarefa da OMS para o combate à gripe aviária, é desenvolver uma vacina segura, eficaz e de baixo custo que permita proteger o Brasil no caso de uma eventual pandemia.

– A nossa capacidade instalada de produção é da ordem de 40 milhões de doses de vacina por ano, quando a fábrica industrial tiver todos os seus equipamentos validados. Até lá, na planta-piloto, deveremos produzir cerca de 20 mil doses, de acordo com o dimensionamento feito pelo Ministério da Saúde em parceria com as Secretarias Estaduais de Saúde – afirmou Isaías Raw, presidente da Fundação Butantan.

Um dos trunfos do Butantan na luta contra a gripe aviária é um adjuvante chamado Monofosforilipídeo A (MPLA), derivado do desenvolvimento da vacina de coqueluche, sobre o qual as pesquisas apontam uma eficiência quatro vezes maior do que os adjuvantes habitualmente utilizados.

A planta-piloto, onde a vacina vêm sendo desenvolvida, é um laboratório de nível de segurança 3, inspecionada e aprovada por todos os órgão competentes, o que garante risco biológico zero para a população. Além disso, a cepa recebida pelo Butantan já foi desarmada geneticamente para não causar gripe aviária, o que torna o risco de uma epidemia a partir desta cepa nulo.

O investimento estimado na fábrica de vacina contra a gripe é da ordem de R$ 70 milhões, entre construção das instalações e equipamentos de última geração. A fábrica tem cerca de 10 mil m², e é resultado de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e o Ministério da Saúde.

– O Brasil deverá ser o primeiro país a fabricar a vacina no Hemisfério Sul. A estratégia é criar um estoque que sirva como linha de frente caso ocorra uma pandemia – alertou.

 

 

Fonte: Ascom Sec Est Saúde SP