Início Destaque Vigilância Sanitária intensifica fiscalização para Semana Santa

Vigilância Sanitária intensifica fiscalização para Semana Santa

Fiscais inspecionam estabelecimentos, fazem interdições, aplicam multas e descartam produtos

A Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses da Prefeitura do Rio está realizando as inspeções prévias da Semana Santa, de olho na qualidade do bacalhau, frutos do mar, pescados em geral e produtos feitos com chocolate que, nessa época do ano, reinam em balcões dos mais variados tipos de estabelecimentos.

 

A primeira inspeção foi durante a operação de ordenamento urbano na Praça Tim Maia, no Recreio dos Bandeirantes. Até sábado, dia 13 de abril,  as equipes inspecionaram 61 estabelecimentos e aplicaram 45 infrações, a maioria, por falta de higiene e armazenamento e comercialização inadequada. Mais de uma tonelada (1.036 quilos) de produtos impróprios ao consumo foi descartada, como brownie sem identificação, pescado com consistência e odor alterados, bacalhau com vermelhão e desfiado fora da refrigeração e alimentos expostos descongelados. As equipes conferiram ainda o pescado salgado seco em comercialização, com dicas para o consumidor identificar o que realmente é bacalhau.

Nas vistorias das últimas duas semanas, um estabelecimento de venda de presuntos, queijos e outros frios na Rua Senador Pompeu, no Centro, foi interditado e outros três tiveram parte dos equipamentos e algumas áreas interditadas, sendo notificados sobre as medidas que devem adotar para a desinterdição. Ao todo, os fiscais emitiram 39 termos de intimações com os prazos e as exigências a serem cumpridas, como a readequação da bancada de exposição de alimentos, a manutenção do sistema de climatização e reparos em rede elétrica e estruturas físicas.

– APROVEITAMOS A AÇÃO NA PRAÇA TIM MAIA, ONDE HÁ SEIS PEIXARIAS, PARA INICIAR AS PRÉVIAS DA SEMANA SANTA. E SEGUIMOS NAS INSPEÇÕES DE ROTINA COM ATENÇÃO VOLTADA AO PESCADO, CHOCOLATES E, EM ESPECIAL, AO BACALHAU, PARA MINIMIZAR OS RISCOS À SAÚDE DO CONSUMIDOR E EVITAR QUE ELE COMPRE GATO POR LEBRE. SEGUIREMOS COM AS AÇÕES ATÉ A PRÓXIMA QUINTA-FEIRA – ADIANTA A MÉDICA-VETERINÁRIA ALINE BORGES, COORDENADORA DE ALIMENTOS DA VIGILÂNCIA.

Boas práticas – Aline Borges ressalta que a qualidade tanto do pescado salgado e do seco depende, exclusivamente, da adoção de boas práticas em todas as etapas da produção: pesca, espécie do pescado, limpeza, método de salga, controle da temperatura e umidade durante o armazenamento, transporte, distribuição e ainda a avaliação constante das características normais do produto. Para tanto, a Vigilância do Rio vem priorizando as orientações aos comerciantes sobre a importância de observar e cumprir critérios definidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

– PARA TERMOS À MESA UM PRODUTO DE QUALIDADE, TODOS PRECISAM FAZER A SUA PARTE. O COMERCIANTE DEVE SEGUIR OS PROTOCOLOS DOS ÓRGÃOS REGULADORES E O CONSUMIDOR TEM QUE ESTAR ATENTO À HIGIENE DOS ESTABELECIMENTOS E CONFERIR O RÓTULO DE CADA PRODUTO, ONDE HÁ INFORMAÇÕES IMPORTANTÍSSIMAS, COMO PROCEDÊNCIA, VALIDADE E TEMPERATURA DE ARMAZENAMENTO. JÁ A VIGILÂNCIA, MAIS DO QUE FISCALIZAR, ATUA NA PREVENÇÃO DOS RISCOS À SAÚDE PÚBLICA. PARA ISSO, AMPLIAMOS AS ORIENTAÇÕES, TRIPLICAMOS AS CAPACITAÇÕES E INTENSIFICAMOS AS PRÉVIAS EM EVENTOS DIFERENCIADOS, COMO O CARNAVAL E A PRÓPRIA SEMANA SANTA. ESSA ESTRATÉGIA TROUXE RESULTADOS MUITO POSITIVOS, E NOS PERMITIU AVANÇAR NA REDUÇÃO DE RISCOS – COMEMORA A SUBSECRETÁRIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA E CONTROLE DE ZOONOSES, MÁRCIA ROLIM, RECOMENDANDO À POPULAÇÃO QUE DENUNCIE QUALQUER IRREGULARIDADE AO 1746, CENTRAL DE ATENDIMENTO DA PREFEITURA.